01.10.2014 // atualidades / beleza

foto:Leandro Bordoni

 

1.       Mais barato nem sempre é a melhor opção.

É bem comum ouvir de clientes que ‘aquele tal estúdio da esquina fez um preço mais barato’ -, e entendo perfeitamente a mania brasileira de barganha, mas quando se trata de algo permanente como uma tattoo, é legal pensar melhor. Quando for barato demais, desconfie! O material pode não ter boa procedência. E vale lembrar que, doenças como Hepatite C e HIV podem ser contraídas através de uma simples tatuagem.

 

2.       Na dúvida, não.

Aquela ideia genial que você teve ontem e vai tatuar hoje! Se não tem certeza absoluta de que é isso que quer, não faça. Nome de namorados, cônjuges também são furada! São o tipo de coisa que 99% das pessoas acabam por cobrir ou remover. A remoção além de dolorida, é bem mais cara que a tatuagem, e deixa marcas. E coberturas nem sempre vão sair exatamente como você quer.

 

3.       Custa muito caro?

Cada tatuador e estúdio têm um valor de sessão ou valor fixo – não espere que aquele fechamento de costas com um dragão lindo seja feito por pouca grana. Seja realista, é um trabalho artístico que, demorou anos para o tatuador dominar, e, provavelmente vai durar mais do que você. Muitos estúdios parcelam e fazem trabalhos grandes por sessão – que pode variar de duas ou mais horas. Converse com o seu profissional e veja como ele trabalha nesse aspecto.

Conheço muita gente que faz o ‘cofrinho tattoo’ – pagar à vista, em alguns casos, pode valer bem mais a pena.

 

4.       Como escolher o tatuador?

Existem muitos profissionais capacitados por aí, e outros nem tanto. O importante é ter seu desenho bem definido. A partir daí, procure saber se o tatuador é especializado no tipo de desenho que você deseja. Olhe o portfólio, peça para fazer um estudo e, o mais importante: ouça o que ele tem a dizer! Muitas vezes, temos ideias que funcionam perfeitamente em teoria, mas na prática é bem diferente. Sua pele não é um papel, nem tudo é tatuável ou permanecerá com a mesma qualidade em longo prazo. Letras pequenas tendem a fechar com o tempo, por exemplo.

 

5.       Dói muito? Qual lugar dói menos?

Sensibilidade à dor é algo bem pessoal.  Já presenciei reações bem diferentes em lugares iguais. Tatuagem dói! Não acredite se te disserem o contrário. A intensidade da dor e o local que dói mais ou menos dependem inteiramente da sua sensibilidade.  Escolher o local por intensidade de dor pode resultar em arrependimento. Escolha de acordo com o que você e o tatuador concordem que resultará em um trabalho bom.

 

6.       Tenho que seguir alguma dieta?

Como qualquer procedimento, recomenda-se reduzir a ingestão de alimentos com efeitos que possam potencializar alguma infecção ou alergia. Alimentos muito gordurosos, como carne de porco e alguns condimentados – pimenta, por exemplo – devem ser evitados.

 

7.       Qual a pomada ideal?

É comum o tatuador recomendar uma pomada ou bálsamo cicatrizante para tatuagens. Antes de comprar a tal pomada, veja se você não tem alguma alergia aos componentes da fórmula. Nesse caso, o mais seguro e correto é pedir uma recomendação ao seu dermatologista. Além de recomendar algo mais adequado para a situação ele pode te auxiliar caso ocorra algum tipo de reação adversa.

 

8.       Posso tomar sol? Quando passar protetor solar?

A pele é uma tela que já possui cor. Lembre-se que, se o sol queima sua pele, sua tatuagem vai queimar também. Alguns pigmentos são mais resistentes à luz solar e desbotam menos. Converse com seu tatuador e explique caso você tome bastante sol.

O protetor solar é importantíssimo na conservação da sua tatuagem, e nesse caso quanto mais, melhor. Se você é adepto ao protetor solar todos os dias, sua tatuagem ficará impecável por anos.

 

9.       Posso coçar? Por quê?

É normal durante o processo de cicatrização, que a área tatuada apresente coceira.  Resista! A coceira é um sinal de que o seu corpo está tentando curar o ferimento, e, ao coçar você expõe o ferimento às bactérias presentes embaixo das unhas e nos dedos.  Uma das bactérias mais comuns é a streptococcus pyogenes, que causa uma infecção fortíssima chamada Erisipela. Infecções como essa, além do óbvio perigo, ainda prejudicam o resultado final da sua tatuagem.

 

10.   Vou precisar retocar depois de quanto tempo?

O retoque depende diretamente do seu cuidado com a tatuagem, tanto no processo de cicatrização, quanto nos anos seguintes. Protetor solar é essencial e hidratação constante também. Cuidando bem, talvez você nem precise em curto prazo. Em média, as mudanças da pele determinam o retoque. Com o passar dos anos, a pele perde sua elasticidade natural e isso altera a tatuagem. Mantenha contato com o tatuador, e ele saberá informar a hora ideal para um retoque.

 

Aqui vai um vídeo explicando o motivo da tatuagem ser permanente. O áudio é inglês então não esqueça de ativar a legenda ;)

 

Com isso em mente, é só encarar a agulha e ser feliz com o resultado! Boa Sorte!

Nat

(2) Comentários